Ir para o conteúdo

Vale Real e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Previsão para hoje (domingo, 03 de março)
min 23 ºC max 31 ºC
Redes sociais
Vale Real
Acompanhe-nos:
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Legislação
ARRASTE PARA VER MAIS
INTERAÇÃO
Anotação
Marcação
BUSCA
Expressão
EXPORTAÇÃO
Código QR
Baixar
Compartilhar
COLABORE
Reportar Erro
QRCode
Acesse na íntegra
LEIS Nº 486, 21 DE DEZEMBRO DE 2001
Em vigor

LEI Nº 486/2001, de 21 de dezembro de 2001.

 

"Concede Incentivo Fiscais e Para-fiscais à empresas que se expandirão e se instalarão no Município de Vale Real e dá outras providências".

 

SÉRGIO LUIZ BARTH, Prefeito Municipal de Vale Real, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições Legais e atendendo ao disposto na Lei Orgânica Municipal, FAÇO SABER que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte:

 

L E I

 

Art. 1º - Às empresas FITAS REAL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE EMBALAGENS LTDA, NANDINI CALÇADOS LTDA e BONORA E VALGARENGHI LTDA, serão concedidos os seguintes incentivos de natureza fiscal e para-fiscal, adiante identificados:

 

I - À empresa FITAS REAL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE EMBALAGENS LTDA:

a) Participação financeira no valor de R$ 8.000,00 (oito mil reais) destinados à elaboração do projeto arquitetônico e de engenharia do novo empreendimento;

b) Participação na infra-estrutura limitada a:
b.1- terraplenagem: 80,00 m3;

b.2- seixo rolado: 1.170,00 m3;         
b.3- areião: 135,00 m3;

b.4- brita: 150,0 m3;   
b.5- areia média: 30,00 m3.

c) Isenção de Imposto Predial e Territorial Urbano-IPTU sobre o imóvel onde se situa a empresa, durante 10 (dez) anos, a partir do início das operações da nova unidade produtiva;

d) reinvestimento de 30% do incremento de ICMS gerado pela empresa beneficiada a partir do ano de 2002 até 2012, em cursos profissionalizantes para funcionários e diretores da empresa e participação da empresa em feiras e exposições.

 

§ 1º - A participação financeira constante da alínea "a" deste inciso, somente será concedida após a aprovação do respectivo projeto junto a Prefeitura Municipal.

 

§ 2º - Os serviços de infra-estrutura constantes da alínea "b" deste inciso poderão ser executados diretamente pelo Município ou por terceiros, mediante licitação se o valor a ser terceirizado assim o exigir, consoante lei de licitações.

 

II - À empresa NANDINI CALÇADOS LTDA: participação financeira no valor de R$ 8.856,00 (oito mil, oitocentos e cinquenta e seis reais) destinados à execução de serviços e material necessário ao reforço de energia elétrica junto à rua Emílio Britz.

 

§ 1° - A participação financeira constante deste mc1so, somente será concedida após a execução das obras.

 

§ 2º - O projeto de execução do reforço de rede elétrica será objeto de convênio entre o Município e a RGE, para fins de ressarcimento ao Poder Público municipal do valor investido, segundo normas da ANEL.

 

III - À empresa BONORA E VALGARENGHI LTDA: participação financeira no valor de R$ 480,00 (quatrocentos e oitenta reais) mensais a título de auxílio de aluguel do prédio para instalação da empresa, durante o período dos l 2 (doze) primeiros meses de locação, podendo ser prorrogado por igual período, tendo como base de atualização o IGP-M.

 

Parágrafo Único- O valor da participação do Município no aluguel será repassado mensalmente à própria empresa, mediante apresentação do instrumento locatício e prova do pagamento do aluguel do mês anterior, exceto o primeiro.

 

Art. 2º) Os incentivos constantes da presente Lei, somente serão concedidos mediante prévio Laudo Técnico sobre a estimativa de impacto financeiro orçamentário elaborado por técnico especificamente designado para elaborá­lo, sem prejuízo à observância das demais exigências administrativas e aos dispositivos constantes desta Lei e da Lei nº 400 de 27 de janeiro de 2000.

 

Art. 3°) O Município celebrará Termo de Convênio com as empresas beneficiadas, no qual constará suas obrigações constantes desta Lei e demais exigências que vierem a ser apuradas no Laudo Técnico.

 

Art. 4º) No caso de descumprimento das condições previstas na Lei e convênio a ser firmado com a empresa beneficiária fica esta obrigada a ressarcir os valores pelos benefícios recebidos, a serem apurados por uma Comissão a ser designada para este fim, devidamente corrigidos, acrescidos de 1% (um por cento) de juros ao mês a contar da data da concessão do benefício do efetivo dispêndio ou, ainda, da prestação dos serviços.

 

Art. 5°) As empresas beneficiadas não poderão cessar voluntariamente suas atividades, nem reduzir a seu quadro de empregados em parcela superior a 30% (trinta por cento), nem transferir sua sede para outro Município ou alienar o imóvel, antes de decorrido o prazo de 5 (cinco) anos-, sob pena de obrigar-se a restituir em décuplo os valores dos benefícios recebidos , convertidos monetariamente a partir da data em que seriam devidos, salvo motivo de força maior, devidamente comprovado, quando então restituirá apenas os valores gastos pelo Município com a concessão dos incentivos acrescidos de correção monetária e juros de 1% (um por cento) ao mês.

 

§ 1º- Findo o prazo previsto no caput deste artigo nenhuma obrigação restará à empresa em decorrência da Lei.

 

§ 2°- Em caso de alienação do imóvel para terceiros com fins de prosseguimento de atividades econômica, fica o alienante isento do ressarcimento ao Município dos incentivos recebidos.

 

Art. 6°) As empresas beneficiadas deverão estar em funcionamento concomitantemente à concessão dos benefícios.

 

Art. 7°) O prazo de isenção de tributos municipais constante do parágrafo primeiro do artigo 4° da Lei Municipal nº 400 de 27 de janeiro de 2000 , será ampliado para até 10 (dez) anos, dependendo de cada caso.

 

Art. 8º) As despesas decorrentes da aplicação desta Lei correrão por dotações orçamentárias próprias de acordo com a natureza jurídica do incentivo.

 

Art. 9º) Esta Lei entrará em vigor na data de sua publicação.

 

Gabinete do Prefeito Municipal de Vale Real, aos vinte e um dias do mês de dezembro de 2001.

 

 

Sérgio Luiz Barth
Prefeito Municipal

 

 

Registre-se e Publique-se.

 

 

Gabriel Freiberger
Secretário Municipal da Administração

* Nota: O conteúdo disponibilizado é meramente informativo não substituindo o original publicado em Diário Oficial.
Minha Anotação
×
LEIS Nº 486, 21 DE DEZEMBRO DE 2001
Código QR
LEIS Nº 486, 21 DE DEZEMBRO DE 2001
Reportar erro
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Seta
Versão do Sistema: 3.4.0 - 05/02/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia