Ir para o conteúdo

Vale Real e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Previsão para hoje (terça, 25 de junho)
min 7 ºC max 14 ºC
Redes sociais
Vale Real
Acompanhe-nos:
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Legislação
ARRASTE PARA VER MAIS
LEGISLAÇÃO
Atos relacionados
INTERAÇÃO
Anotação
Marcação
BUSCA
Expressão
EXPORTAÇÃO
Código QR
Baixar
Compartilhar
COLABORE
Reportar Erro
QRCode
Acesse na íntegra
LEIS Nº 1649/2023, 26 DE DEZEMBRO DE 2023
Início da vigência: 26/12/2023
Assunto(s): Concessão de incentivos
Em vigor

LEI N° 1.649/2023, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2023.

CONCEDE INCENTIVOS À EMPRESA HDA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE COMPONENTES ELETRONICOS S/A E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.


                               PEDRO KASPARY, Prefeito Municipal de Vale Real, Estado do Rio Grande do Sul, no uso de suas atribuições Legais e atendendo ao disposto na Lei Orgânica Municipal, na lei 1.318/2018 que trata do programa de incentivo para o desenvolvimento socioeconômico e em conformidade com a autorização contida na Constituição Federal, FAÇO SABER que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e eu sanciono a seguinte

LEI

Art. 1º Fica o Poder Executivo autorizado a conceder incentivo à empresa HDA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE COMPONENTES ELETRONICOS S/A, inscrita no CNPJ nº 11.496.607/0001-20 nos termos do artigo 2º e incisos da Lei 1.318/2018, observadas as seguintes condições:

I - O ressarcimento de até 75% (setenta e cinco por cento) do valor total do investimento previsto no projeto de captação do incentivo municipal encaminhado pela empresa no protocolo nº 762/2022, de 15/06/2022 e complementado no memorial de projeto datado de 24/04/2023, nos termos do artigo 2º, inciso III e artigo 4º,  ambos da Lei 1.318/2018, pelo prazo máximo de 10 (dez) anos, observado o limite de até 60% (sessenta por cento) do retorno financeiro anual gerado pela empresa, em decorrência do valor adicionado fiscal resultante de suas atividades no município.

II – Isenção do pagamento das taxas de aprovação de projeto de construção, excluídas, taxas ambientais ou de outra natureza e impostos, nos termos do artigo 2º, IV da Lei 1.318/2018.

§ 1º Os investimentos a que se refere o inciso I compreendem as notas fiscais apresentadas pela Empresa no período de 15 de junho de 2022 (data do protocolo) até a data da concessão da Carta de Habitação (habite-se) para instalação/implantação da empresa, que compreendem obras civis e de instalação, não sendo considerados para fins de cálculo, novos valores em investimentos não previstos no valor do projeto inicial.

§ 2º Os valores referentes à aquisição de terreno serão considerados para fins de ressarcimento mediante a comprovação da compra, com a juntada da matrícula atualizada do imóvel e apresentação da respectiva guia do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), paga até o início das atividades da empresa.

§ 3º Os valores referentes à aquisição de máquinas e equipamentos serão considerados para fins de ressarcimento mediante a comprovação das notas fiscais datadas desde a data do protocolo de incentivo solicitado em 15/06/2022 até no máximo 6 (seis) meses após a expedição do alvará de funcionamento.

§ 4º Os valores dos investimentos devidamente comprovados pela empresa serão atualizados pela URM (unidade de referência municipal) quando da realização dos cálculos para repasse de valores.

§ 5º Ao final de cada exercício, o saldo do investimento passível de ressarcimento será corrigido pela URM.

Art. 2º A concessão dos benefícios anuais ficará condicionada à emissão de parecer pela Comissão de Acompanhamento para apuração dos valores e enquadramento no orçamento municipal.

§ 1º O valor do ressarcimento anual fica limitado a 7,5% (sete vírgula cinco por cento) dos 75% (setenta e cinco por cento) do valor do investimento passível de restituição.

§ 2º O valor de ressarcimento previsto no caput ficará limitado à comprovação do retorno financeiro anual gerado pela empresa, em decorrência do valor adicionado fiscal resultante de suas atividades no município nos termos do inciso I do artigo 1º desta lei.

Art. 3º As despesas decorrentes desta lei correrão por conta da dotação orçamentária própria de cada exercício.

Art. 4º Faz parte integrante desta lei a minuta do contrato em anexo. 

 

GABINETE DO PREFEITO MUNICIPAL DE VALE REAL, aos vinte e seis dias do mês de dezembro de dois mil e vinte e três.

                                                                   PEDRO KASPARY

                                                                    Prefeito Municipal

Registre-se e Publique-se.

                     Cláudio Schmitz

Secretário Municipal da Administração e

                           Fazenda

CONTRATO DE INCENTIVO FINANCEIRO

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO

Lei Municipal 1.318/2018

  1. DO OBJETO

CLÁUSULA PRIMEIRA: O presente contrato tem por objeto a concessão de incentivos financeiros à Empresa HDA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE COMPONENTES ELETRONICOS S/A, inscrita no CNPJ nº 11.496.607/0001-20, previstos na Lei Municipal 1.318/2018, aprovado pela Comissão de Acompanhamento do Programa e ratificado pela Lei Municipal XXX. Tais incentivos visam subsidiar investimentos de instalação de unidade da empresa, localizada no Município de Vale Real.

  1. DOS INCENTIVOS PROPOSTOS PELO MUNICIPIO

CLÁUSULA SEGUNDA: O ressarcimento de até 75% (setenta e cinco por cento) do valor total do investimento previsto no projeto de captação do incentivo municipal encaminhado pela empresa no protocolo nº 762/2022, de 15/06/2022 e complementado no memorial de projeto datado de 24/04/2023, nos termos do artigo 2º, inciso III e artigo 4º,  ambos da Lei 1.318/2018, pelo prazo máximo de 10 (dez) anos, observado o limite de até 60% (sessenta por cento) do retorno financeiro anual gerado pela empresa, em decorrência do valor adicionado fiscal resultante de suas atividades no município.

Parágrafo Primeiro: O montante passível de ressarcimento a que se refere a Cláusula Segunda está limitado a 60% (sessenta por cento) do ICMS incremental, no prazo de 10 anos e ao montante de até 75% (setenta e cinco por cento) do valor investido na instalação da empresa de R$ 4.466.581,00. Tal valor provém do valor do investimento, aprovado pela Comissão, distribuído dentre os itens passíveis de ressarcimento, da seguinte maneira:

Investimentos fixos

Valores: R$

Construção Civil e instalações

  3.484.581,00

Máquinas/Equipamentos

     702.000,00

Aquisição de terreno

     280.000,00

Total dos investimentos

  4.466.581,00

Limite de 75%

  3.349.935,70

Parágrafo Segundo: Os investimentos a que se refere à Cláusula Segunda compreendem as notas fiscais apresentadas pela Empresa no período de 15 de junho de 2022 (data do 1º protocolo) até a data da concessão da Carta de Habitação (habite-se) para instalação/implantação da empresa, que compreendem obras civis e de instalação, não sendo considerados para fins de cálculo, novos valores em investimentos não previstos no valor do projeto inicial.

Parágrafo Terceiro: As comprovações dos investimentos realizados pela Beneficiária deverão ser juntadas através de documentos contábeis, no caso notas fiscais de compra, as quais serão submetidas à análise e emissão de parecer da Comissão de Acompanhamento.

Parágrafo Quarto: Os valores referentes à aquisição de terreno serão considerados para fins de ressarcimento mediante a comprovação da compra, com a juntada da matrícula atualizada do imóvel e apresentação da respectiva guia do Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI), paga até o início das atividades da empresa.

Parágrafo Quinto: Os valores referentes à aquisição de máquinas e equipamentos serão considerados para fins de ressarcimento mediante a comprovação das notas fiscais datadas desde a data do protocolo de incentivo solicitado (15/06/2022) até no máximo 6 (seis) meses após a expedição do alvará de funcionamento.

Parágrafo Sexto: A concessão dos benefícios anuais ficará condicionada à emissão de parecer pela Comissão de Acompanhamento para apuração dos valores e enquadramento no orçamento municipal.

         Parágrafo Sétimo: O valor do ressarcimento anual fica limitado a 7,5% (sete vírgula cinco por cento) dos 75% (setenta e cinco por cento) do valor do investimento passível de restituição.

         Parágrafo Nono: O valor de ressarcimento previsto na Cláusula Segunda ficará limitado à comprovação do retorno financeiro anual gerado pela empresa, em decorrência do valor adicionado fiscal resultante de suas atividades no município nos termos do inciso I do artigo 1º da lei XXXX/2023.

  1. DO PAGAMENTO

 

CLÁUSULA TERCEIRA: Fica estabelecida a data-base anual de 2024, período que compreende a efetivação do retorno real de ICMS para o Município com início do pagamento no ano de 2026 conforme regras contidas na Cláusula Sexta.

CLÁUSULA QUARTA: A parcela anual do subsídio será liberada à empresa, na forma de crédito em conta corrente bancária, em no máximo 10 (dez) dias a contar da entrega da documentação necessária contida na Cláusula Décima Primeira pela BENEFICIÁRIA e emissão de parecer da Comissão de Acompanhamento.

CLÁUSULA QUINTA: A apuração dos valores do subsídio a ser repassado a BENEFICIÁRIA será realizada pela Comissão de Acompanhamento, devendo entregar uma via do respectivo cálculo à BENEFICIÁRIA anteriormente ou juntamente ao pagamento.

CLÁUSULA SEXTA: Os valores dos investimentos devidamente comprovados pela empresa serão atualizados pela URM (unidade de referência municipal) quando da realização dos cálculos para repasse de valores.

I -  a apuração dos valores anuais ficará condicionada à disponibilização dos dados do Censo Anual do ICMS, apurado pela Secretaria da Fazenda do Estado – SEFAZ/RS, devendo ser realizada até o dia 15 de dezembro de cada exercício.

§ 1º Quando os dados definitivos do Censo Anual do ICMS não forem disponibilizados dentro dos prazos legais, o município realizará os cálculos de repasse de valores utilizando os dados provisórios publicados pela SEFAZ/RS.

§ 2º Sempre que os cálculos forem realizados com base nos dados provisórios, o município realizará nova apuração, aplicando as devidas compensações e correções de valores, quando da publicação dos dados definitivos pela SEFAZ/RS.

CLÁUSULA SÉTIMA: Ao final de cada exercício, o saldo do investimento passível de ressarcimento será corrigido monetariamente pela URM (Unidade de referência municipal) ou outro índice que venha a substitui-la.

  1. DAS OBRIGAÇÕES DO MUNICÍPIO

CLÁUSULA OITAVA: O Município, através da Secretaria Municipal da Fazenda, deverá entregar à BENEFICIÁRIA, ao final de cada exercício, um extrato contendo saldo inicial, pagamentos (amortizações) efetuados, índices de atualização e saldo final do benefício, para fins de controle quanto ao limite de ressarcimento descrito na Cláusula Segunda.

CLÁUSULA NONA: O Município consignará anualmente, na proposta orçamentária do Poder Executivo, os recursos necessários para cobrir o compromisso assumido contratualmente.

CLÁUSULA DÉCIMA: O controle do efetivo cumprimento do presente contrato ficará a cargo da Secretaria Municipal da Administração e Fazenda.

  1. DAS OBRIGAÇÕES DA BENEFICIÁRIA

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA: Para fins de apuração do percentual de benefício e recebimento dos valores a que tem direito, a empresa deverá apresentar certidão negativa junto à fazenda federal, estadual e municipal bem como certidão de regularidade do FGTS e INSS.

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA: A BENEFICIÁRIA deverá apresentar, quando solicitada, documentos contábeis e patrimoniais, em especial, o Balanço Patrimonial e Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE).

CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA: O descumprimento, pela BENEFICIÁRIA, de quais quer dos compromissos assumidos contratualmente, ressalvados os casos de força maior ou caso fortuito, acarretará o cancelamento do benefício concedido, com a imediata devolução dos valores já repassados.

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA: O incentivo será cancelado e exigido a imediata devolução dos valores já repassados corrigidos pela URM (unidade de referência municipal) ou outro índice que venha a substitui-la, se a BENEFICIÁRIA:

I – Deixar de cumprir o projeto de investimento ou quaisquer outros compromissos assumidos no ato da concessão do incentivo ou expressos na Lei 1318/2018.

II – For objeto de fusão, venda ou incorporação e não houver ratificação, pela sucessora, dos termos dos contratos ou protocolo firmados pela BENEFICIÁRIA.

III – Decretar falência ou efetivar baixa na empresa ou interrupção de suas atividades no Município.

CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA: Nos casos previstos no inciso II da Cláusula anterior, a empresa sucessora deverá, no prazo máximo de 30 (trinta) dias da efetivação do respectivo ato jurídico, solicitar a re-ratificação nos documentos de concessão dos benefícios, devendo, ainda, arcar com os custos de publicação e demais procedimentos administrativos decorrentes da re-ratificação.

  1. DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA: O Município e a BENEFICIÁRIA comprometem-se a observar fielmente as disposições deste contrato, na condição de ato jurídico perfeito.

CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA: Na hipótese de aplicação do disposto nas Cláusulas Décima Quinta e Décima Sexta incidirão sobre os valores a serem devolvidos, correção monetária pela URM ou outro índice que venha a substitui-la e juros de 1% ao mês.

CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA: A celebração deste contrato não isenta nenhuma das partes do cumprimento de qualquer outro aspecto da legislação pertinente, porventura não contemplado neste contrato.

CLÁUSULA DÉCIMA NONA: Para eventuais dúvidas ou omissões decorrentes do presente contrato serão adotadas as disposições contidas na Lei Municipal 1318/2018 e Atas da Comissão de Acompanhamento do Programa.

CLÁUSULA VIGÉSIMA: Fica eleito o foro da Comarca de Feliz/RS para a solução de eventual litígio decorrente do presente contrato.

Assim, justos e acordados, assinam as partes o presente instrumento em quatro vias de igual teor e forma, na presença de duas testemunhas.

Vale Real, XXX de dezembro de 2023.

HDA INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE COMPONENTES ELETRONICOS S/A

Sócios proprietários

PEDRO KASPARY

Prefeito Municipal          

                                                                                               

Testemunhas:

________________________________

Nome:

CPF:

_______________________________

Nome:

CPF:

Autor
Executivo
* Nota: O conteúdo disponibilizado é meramente informativo não substituindo o original publicado em Diário Oficial.
Atos relacionados por assunto
c
Ato Ementa Data
LEIS Nº 1667/2024, 24 DE ABRIL DE 2024 Autoriza o Município de Vale Real a colaborar em ações de incentivo à aquisição de produtos e serviços em empresas locais do Município de Vale Real 24/04/2024
LEIS Nº 1651/2024, 04 DE MARÇO DE 2024 AUTORIZA O REPASSE DE RECURSOS FINANCEIROS A ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA ALIANÇA E ASSOCIAÇÃO RECREATIVA E ESPORTIVA SÃO PEDRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS 04/03/2024
LEIS Nº 1650/2024, 26 DE DEZEMBRO DE 2023 AUTORIZA O PODER EXECUTIVO FIRMAR TERMO DE PARCERIA SOB A MODALIDADE DE FOMENTO COM A ASSOCIAÇÃO CULTURAL ESPORTIVA ARROIO DO OURO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS 26/12/2023
LEIS Nº 1630/2023, 11 DE SETEMBRO DE 2023 CONCEDE INCENTIVOS À EMPRESA MAORI DISTRIBUIDORA DE BEBIDAS LTDA E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. 11/09/2023
LEIS Nº 923/2010, 29 DE SETEMBRO DE 2010 AUTORIZA CONCESSÃO DE INCENTIVOS PARA TRANSFERÊNCIA DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS 29/09/2010
Minha Anotação
×
LEIS Nº 1649/2023, 26 DE DEZEMBRO DE 2023
Código QR
LEIS Nº 1649/2023, 26 DE DEZEMBRO DE 2023
Reportar erro
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Seta
Versão do Sistema: 3.4.1 - 29/04/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia